Prove Portugal

Porto e Norte

Conhecida pelo “bem receber”, na região Porto e Norte a mesa é  digna de verdadeiros gastrónomos.

São estas encostas graníticas, que no alto se expandem em planaltos xistosos, que colhem os rios Douro e Minho.

Daqui nasce o mais celebre dos vinhos fortificados: o vinho do Porto. Esta região demarcada, a mais antiga do mundo, é também terra de uma gastronomia impar e cheia de preciosos atributos. As carnes bovinas DOP Barrosã, Mirandesa, Maronesa e Arouquesa; os borregos Terrincho Transmontano; os cabritos do Barroso são carnes de eleição autóctones desta região. Mas também a caça, com as perdizes à cabeça, são celebridades da região. Os enchidos regionais de qualidade abundam: as alheiras, outrora chamados chouriços judeus, os chouriços de sangue e os buchos são os mais apreciados.
O porco, acompanhado de acordas ou migas, as cabidelas de animais de campo, o bacalhau e o tenro e suculento cabrito são pratos emblemáticos.

Os vinhos que os acompanham, com especial destaque para os oriundos do Douro superior, são de enorme qualidade e encontram nas mesmas castas que os vinhos do Porto a natural constituição. As Tourigas: Nacional e Franca; e as Tintas: Roriz, Amarela e Barroca; são seguramente as mais emblemáticas. Mais a norte, no Minho, é a casta Alvarinho que se destaca e enobrece os brancos da região dos Vinhos Verdes, com encantadoras variações consoante a sub-região de origem. Caracterizam-se pela frescura, pelo carácter ora mais citrino ora mais tropical, muitas vezes mineral, com uma enorme capacidade de envelhecimento e grande aptidão a fermentações e estágios nas mais nobres barricas.

Da terra brotam também óptimos legumes, como as pequenas ervilhas, as óptimas batatas transmontanas, as múltiplas couves, e os nossos tão apreciados grelos, recorrentes em diversas receitas.

Também a doçaria tem destaque nesta região, disso é exemplo o tão afamado Pudim Abade de Priscos. Típico de Braga, é também conhecido por pudim de toucinho e ideal para uma mesa de festa. A receita era do abade que lhe deu o nome, um mestre na arte culinária do seu tempo (final século XIX).  

Na cidade do Porto destacam-se os pratos à base de polvo, os óptimos peixes provenientes das lotas mais próximas e o tão típico Bacalhau à Gomes Sá, alourado no forno e composto por lascas de bacalhau amaciadas em azeite, batata cozida e adornado com ovos, salsa e azeitonas.

A região de Trás-os-Montes é igualmente fértil em matéria-prima de eleição: azeite e o mel são dois produtos emblemáticos e qualificados do nordeste transmontano, ambos com o titulo DOP.